Nem tudo que vemos é o que parece/ Not everything we see is what it seems

Olá pessoal,

 

Ontem fui surpreendido por um vídeo que esta circulando na internet onde um professor agride um aluno na frente da turma, o vídeo tem 10 segundos e é realmente chocante. Recebi centenas de mensagens indignadas com o ocorrido, o fato fica ainda mais sério quando vemos o professor usando o kimono da Alliance.

Nosso grupo de filiados no WhatsApp também foi responsável por mensagens fortes preocupados com a reputação de nossa escola, consigo compreender todas as manifestações embora acredite que nos dias de hoje precisamos ter muito cuidado com os julgamentos do que vemos na internet.

A primeira coisa que fiz, após a revolta momentânea que a cena me causou foi esfriar a cabeça e ligar para o professor do vídeo para entender o que havia ocorrido e qual seria a justificativa para uma atitude tão distant

e do que pregamos em nossa escola porém antes de te contar o que houve quero te apresentar esse professor.

O nome dele é Fernando   “Soluço” Di Pierro, faixa preta formado em minha academia em São Paulo e professor de nossa equipe há mais de 15 anos, desenvolve um belíssimo trabalho no Equador onde coordena mais de 20 escolas de nosso time, é formado em Educação física, faixa preta de judô, atleta com excelentes resultados nacionais e internacionais defendendo nossa equipe por mais de 20 anos.

Com essas credenciais e conhecendo bem a pessoa em questão o vídeo simplesmente não fazia sentido, minha pergunta a ele foi, em que contexto se deu essa situação? Existe alguma possível explicação?

Sim, existe.

O vídeo foi editado maldosamente e tirado completamente do contexto, professor e aluno estavam fazendo uma brincadeira que depois continuou com o resto da turma rindo e se divertindo. Ninguém se machucou como alguns sites sensacionalistas quiseram colocar e o aluno em questão segue treinando em nossa equipe e muito próximo ao Prof. Soluço o que por si só prova que o vídeo não reflete nossa primeira leitura.

ASSISTA O DEPOIMENTO DO ALUNO

Anexo estou colocando essa imagem com a carta do dono da academia onde essa aula aconteceu há aproximadamente 3 anos.

Mesmo dentro desse contexto de brincadeira não acho que ações como essa sejam aceitáveis dentro de uma academia de jiu-jitsu e minha posição ficou muito clara em nossa conversa.

Tenho o mesmo sentimento de quando vejo o tal corredor polonês ainda acontecendo, não acho que é dessa forma que devemos educar nossos alunos ou dar o exemplo a eles.

Enfim espero que todos nós aprendamos com esse fato, que as academias possam cada vez mais cuidar de seus alunos da forma mais respeitosa possível, que os veículos que se preocupam em divulgar o jiu jitsu o façam de maneira mais profissional e menos sensacionalista e por fim que todos nós antes de julgarmos as pessoas nos preocupemos em conhecer um pouco mais do assunto.

 

Um forte abraço a todos.

 

Hi guys,

 

Yesterday I was shocked by a video that was circulating on the internet where a teacher attacks a student in front of the class, the video has 10 seconds and it’s  really upsetting. I received hundreds of messages outraged by what happened, and it gets even more serious when we see the teacher wearing the Alliance kimono.

Our WhatsApp affiliated group was also responsible for strong messages worried about our school’s reputation, I can understand all the outrage although I believe that today we must be very careful about the judgments of what we see on the internet.

The first thing I did after the momentary revolt that that scene caused me, was to cool down and call the teacher in the video to understand what had happened and what would be the justification for an attitude so distant from what we teach in our school, but before I tell you what happened, I want to introduce you to this teacher.

His name is Fernando “Soluço” Di Pierro, a black belt graduated from my academy in São Paulo and a teacher of our team for more than 15 years. He has developed great work in Ecuador where he coordinates more than 20 Alliance schools. He is trained in Physical education, is a black belt in Judo and an athlete with excellent national and international results representing our team for more than 20 years.

With these credentials and knowing the person well, the video simply did not make sense, my question to him was, ‘in what context did this situation occur?’ ‘Is there any possible explanation?’

 

Yes there is.

 

The video was badly edited and taken completely out of context, the teacher and student were making a joke that later continued with the rest of the group laughing and having fun. Nobody was hurt as some sensational sites wanted to portray and the student in question continues to train in our team and is very close to Prof. Soluço which alone proves that the video doen’t reflect our first interpretation.

Watch the student’s statement

Attached, I am putting this image with the letter from the owner of the academy where this class happened about 3 years ago.

Even within this joking context I don’t think such actions are acceptable within a jiu-jitsu academy and my position became very clear in our conversation. I have the same feeling when I see someone running the gauntlet. I don’t think that’s how we should educate our students or set an example for them. Finally, I hope that we all learn from this fact that academies can increasingly take care of their students in the most respectful way possible, that the methods we choose in promoting jiu jitsu are done in a more professional and less sensational way, and last of all, before we judge people, to be concerned about knowing a little more about things.

A big hug to everyone.

 

 

10 opiniões sobre “Nem tudo que vemos é o que parece/ Not everything we see is what it seems

  • 21 de junho de 2019 em 17:49
    Permalink

    Bem legal a explicação de vocês Mestre.
    Já tive a oportunidade de treinar no QG da Alliance em SP e fui muito bem recebido por todos.
    Tenho muita admiração pelo sistema que vocês têm desenvolvido e pela história de todos vocês.
    Parabéns pelo trabalho e conte conosco sempre.

    Grande abraço

    Alberto

    Resposta
  • 21 de junho de 2019 em 18:25
    Permalink

    Obrigado por esclarecer publicamente, Sensei Fabio. Mas uma opinião humilde minha, que pode estar totalmente equivocada. Só tinha faixas brancas assistindo a demonstração, (pelo vídeo). Esse tipo de “brincadeira” assusta faixas brancas. Sem entrar no mérito do ato. Já vi muita coisa em ambiente de Jiu, tenho minhas opiniões, mas não julgo. Achei coerente sua atitude de ser contra “corredor”, que é uma “brincadeira” no mundo do Jiu, e essa “brincadeira”. Muito bacana a atitude de vir publicamente e desejo que tudo caminhe pro lado da melhora do Jiujitsu. OSS
    ps: Poderia ser postado o restante do vídeo para comprovação do ambiente descontraído relatado pelo Sensei Soluço.

    Resposta
    • 21 de junho de 2019 em 18:30
      Permalink

      Obrigado Caio,
      Nao concordo com a condução da maneira como foi, porém esta realmente fora de contexto, não era uma aula normal e sim um seminário onde o tema era leg locks e golpes proibidos ( eu nao daria um seminario desses rs) publiquei o video do aluno fazendo a explicaçao e estamos atras do video inteiro, já sabemos inclusive quem fez a ediçao com o intuito de difamar o prof Soluço.

      Resposta
      • 24 de junho de 2019 em 17:42
        Permalink

        Professor Fábio, Nitidamente é um vídeo com terceiras intenções, sabemos do contexto quem é dá antiga entende muito bem o assunto, sempre tem aquele que fala que isso não funciona ou não aplica em mim, mesmo assim, sabemos que essa chave não quebraria o pé do aluno ou uma lesão grave. Mas o contexto do tapa que ficou ruim, e foi isso que o Sr. exigiu de seu faixa preta, uma explicação por tal fato. somente verifique quem fez o vídeo e o completo e entenda o porque essa postagem maliciosa. Oss…

        Resposta
  • Pingback:Professor e aluno explicam versão sobre vídeo que viralizou nas redes sociais após suposta agressão | TATAME

  • 21 de junho de 2019 em 20:29
    Permalink

    Fui aluno do Bruno Malfacini in Orlando e posso te afirmar k isto não é como ele ministra suas aulas, muito profissional e um dedicado professor (a maioria das pessoas só o conhecem como competidor).
    Sou irmão do Joãozinho aqui em Maryland e não vejo as mesma s atitudes em suas aulas, foi uma falha o professor fazer isto e sei muito bem k isto não é uma norma mais sim uma rara exceção!!!
    Parabéns por reconhecer o problema é remedia-lo da melhor maneira possível!!!!

    Resposta
  • 21 de junho de 2019 em 21:54
    Permalink

    Well, se o vídeo foi editado maldosamente como indicado, onde estaria a versao sem edicoes? Seria util como esclarecimento para a comunidade de BJJ.

    Resposta
    • 21 de junho de 2019 em 22:09
      Permalink

      Estamos tentando localizar uma vez q o video nao é recente. Mas o proprio aluno que na verdade era auxiliar no seminario ja fez seu depoimento o que mostra que o video foi tirado maldosamente do contexto, isso nao apaga o erro mas preserva o carater de um professor sério. Abs

      Resposta
  • Pingback:Professor e aluno explicam versão sobre vídeo de suposta agressão

  • 22 de junho de 2019 em 09:32
    Permalink

    Brincadeira de bater na costela e na cara?!
    Nunca vi uma aula de jiu jitsu onde um professor da tapa na cara de aluno.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.