CHEGA DESSE PAPO DE OLD SCHOOL

 

Fala galera tudo bem?
tem tempo que não coloco um texto  aqui no blog, na verdade estava super envolvido na nova turma do Viver de Jiu Jitsu, que por sinal foi o maior lançamento que fizemos até agora, muito obrigado a todos vocês que acompanham meu trabalho e todo esse processo de tentar profissionalizar o Jiu Jitsu para que as pessoas que tanto se dedicam possam de fato Viver bem de Jiu Jitsu.
Essa turma que esta fazendo o curso agora (eles completaram a segunda semana enquanto escrevo esse texto), está cheia de campeões mundiais e orofessores renomados o que me deixa muito feliz e esperançoso que o futuro do nosso jiu jitsu vai ser liderado por pessoas mais preparadas não só tecnicamente mas também na parte de gestão de seus negócios.
Falando dessa turma esse é na verdade o assunto desse texto, isso já foi debatido algumas vezes e eu mesmo já me posicionei aqui  e em entrevistas sobre isso, mas é incrivel como esse assunto ainda persiste e toda hora algum saudosista levanta essa bola.

Que o jiu jitsu old school era melhor que o jiu jitsu de agora, agora é Nutella, que antigamente que era bom etc…
Gente parem com esse discurso, isso não tem o menor sentido.
Estou escrevendo  da Russia onde ainda existe por parte de alguns um certo saudosismo da epoca da URSS, vc acredita? Estive em Moscow em 97 e voltei agora, a transformaçao da cidade é assutadora, histórica, muito moderna, limpa, segura, estou curtindo muito poder revisitar essa cidade 20 anos depois, dificil pensar que alguem possa sentir saudade daquela epoca mas embora ninguem queira voltar existe um discurso saudosista sempre que se depara com alguma situaçao que desagrada. Isso acontece no jiu jitsu tambem, sei lá as vezes um cara das antigas vai em um campeonato e vê uma double pull,( dois atletas sentam tentando puxar para a guarda ao mesmo tempo) fica revoltado não sabe como resolver e fala que antigamente que era bom.
Eu sou identificado como OLD School certo? sou faixa preta desde 89 lutei vale tudo muito antes de existir MMA competi dos 15 aos 43 anos enfim acho que sou mesmo Old no sentido da palavra kkkk.
Porém nunca no sentido de renegar a evolução do jiu jitsu e no meu entender qualquer pessoa que coloca o jiu jitsu de antigamente melhor ou mais eficiente em qualquer aspecto do que o jiu jitsu de hoje é apenas um saudosista que parou no tempo e nao evoluiu, provavelmente nao treina mais e nao consegue sentir o que é um campeão de hoje.
Desculpem meus amigos mas não dá! é indefensavel essa tese de que o jiu jitsu antigamente era melhor.
As tecnicas de hoje sao infinitamente mais precisas e variadas, as opçoes de guarda por exemplo… só para vocês terem uma idéia a primeira regra da FJJRJ tinha 3 raspagens, tesourada, raspagens para trás segurando nos calcanhares e balão!

 

3 raspagens!!!!!! por favor esse assunto não deveria nem ser discutido.
Ta bom vão falar de defesa pessoal, eu queria que vcs se perguntasem quem esta mais apto a s

e defender na rua o Isaque Baihense ou um aluno do programa de defesa pessoal ?
Nao estou aqui falando mal da defesa pessoal que acho extremamente importante e precisa estar no programa de qualquer academia mas o atleta de hoje esta em outro nivel simplesmente não da para comparar, o nivel de improviso e velocidade de reação de um campeão atual o prepara de forma muito mais eficiente para uma situaçao de rua do que os treinos de defesa pessoal coreografados dentro da academia.
Eu me lembro muito bem da geração antes da minha com grandes idolos do esporte que me espelhei muito, minha geraçao tambem foi recheada de talentos e depois da minha a cada ano o nivel vai subindo sem parar ao ponto que me arrisco a dizer que se colocassemos os campeões daquela epoca contra os de hoje nenhum resistiria a 10 minutos de luta.
façam um exercicio se quiserem peguem os campeoes do 1º mundial e confrontem com os de hoje.Eu teria que lutar com o Preguiça e por mais que vocês gostem de mim não da pra dizer que eu venceria kkkk
Quem ganharia do Lucas Lepri do Malfacine do Musumessi, do Aly do Buchecha????
Essa discussão é de um saudosismo fora da realidade, eu estive lá e sigo ativo todos os dias em minha academ

ia e acompanhando os principais campeonatos logo posso te afirmar, nao tem comparação! Quem defende isso ou quer enganar os outros ou parou no tempo e não treina mais.
Simples assim!
Se quiserem estender a discussão para o lado da luta real ou vale tudo piora mais ainda pois o MMA tambem evoluiu muito e os puros lutadores de jiu jitsu tambem nao teriam chances nos dias de hoje onde todos os lutadores dominam várias modalidades.
Abram a cabeça para a evolução o fato de vocês terem sido bons no passado não será apagado mas não os torna melhor dos que estão aí agora, conviva com isso.
Não esqueça de deixar seu comentário
Vou tentar ficar mais frequente no BLOG entao se você tiver uma sugestão de tema manda aqui nos comentários também

forte abraço

 

FG

25 opiniões sobre “CHEGA DESSE PAPO DE OLD SCHOOL

  • 8 de setembro de 2018 em 18:44
    Permalink

    Deve ter muita gente comfundindo alhos com bugalhos pelo visto. Falo por mim, não sei das outras pessoas, mas a razão que eu levanto a bandeira do Old School e’ por outros aspectos, aspectos esses relacionados a valores e, não puramente tecnico.

    Resposta
  • 8 de setembro de 2018 em 19:20
    Permalink

    Fábio, boa noite. Este assunto que você levantou, embora não lute mais (Karatê- Shorin Ryu/ Shinzato Santos), procurei me aprofundar neste assunto e a maneira mais adequada que encontrei foi assistindo vídeos de antigos lutadores lutadores de Jiu- Jitsu e os vídeos atuais de MMA. Acho que, dificilmente, qualquer lutador antigo de Jiu Jitsu ganharia de atletas como Anderson Silva. Lioto Machida e Vitor Belfort, sem falar no John Jones. Por mais vitórias que eles tenham no curriculum, os atletas de hoje tem uma preparação muito melhor, até porque o dinheiro para isso é muito maior. Nunca fiz um comentário como o seu, pois não me sentia a vontade, pois não pratico mais arte marcial há muito tempo, mas concordo com os seus comentários sobre divergência entre a velha e a nova escola do Jiu Jitsu. Forte abraço, José Eduardo Guerra Jardim – Santos.

    Resposta
  • 8 de setembro de 2018 em 20:56
    Permalink

    Como todo esporte não há comparação, houve uma evolução assustadora !! Até à seleção de 70 levaria uma goleada da que perdeu de 7×1!! São outros atletas, quase máquinas !!

    O legal de levantar essa bandeira OLDSCHOOL, é apenas para não perdemos a origem ou os fundamentos !! O que norteou nosso esporte.
    Isso vem se perdendo, e isso que não pode se perder.

    O que seria do jj se não fosse, o Sr., Bitetti, Margarida, Terere, Narcelinho e todos os outros !!

    Devemos sim nos atualizar, estar ativos e atentos, mas jamais esquecer o OLDSCHOOL, que por experiência vem sempre se mostrando a solução de defesa para todas essas posições inovadoras !!!

    BASE sempre

    Osss

    Resposta
    • 9 de setembro de 2018 em 03:42
      Permalink

      Filipe,
      Devemos claro preservar nossa história e nossos idolos porem isso nada tem a ver com a defesa da eficiencia das tecnicas. Concordo que muitas vezes tecnicas antigas continuam funcionando mas o jj evoluiu demais em todos os aspectos para se querer fazer qq tipo de comparacao, obrigado pelo comentario um abraço

      Resposta
  • 8 de setembro de 2018 em 21:24
    Permalink

    Mestre Fábio, concordo com você. Cada geração viveu o seu tempo de glórias e conquistas, mas como todo esporte de alto nível, as coisas mudam. O jiu-jitsu evoluiu e vai continuar evoluindo. Isso é natural que aconteça já que o número de praticantes não para de crescer e a profissionalização é o futuro (seu curso é a prova dessa tendência). Nos Emirados Árabes, o jiu-jitsu é aula obrigatória nas escolas. Daqui a uma década, poderemos ver o início de uma mudança nos campeões mundiais. Grande abraço, Pedro Neto

    Resposta
  • 8 de setembro de 2018 em 23:32
    Permalink

    Discordo. O que se prega é sobre eficiência das posições no que arte marcial tem como propósito. Certas posições de fato são extremante expostas para um enfrentamento real. Na verdade nem um campeão mundial de Jiu-Jitsu hoje tem condições de lutar com um lutador mediano de MMA na ativa. Muitos desconhecem princípios básicos de defesa e distância. Tanto é verdade que poucos são os que migram e vão para o MMA. Com relação a campeões enfrentando campeões é um exercício hipotético , já que se dada às mesmas condições físicas de treinamento, nutricional e psicológica que foram desenvolvidas para aqueles que lá atrás lutaram acho que os embates seriam acirrados. De fato competitivamente o Jiu-Jitsu aumentou seu leque de posições, mas nem por isso o torna melhor ou pior, já que muitas posições deixaram de ser usadas ao mesmo tempo e dessa forma existe um equilíbrio, mas quando o enfrentamento é real com variáveis de soco, chute e etc , o que salva são as noções básicas da arte marcial .

    Resposta
    • 9 de setembro de 2018 em 03:37
      Permalink

      Thiago
      Assim como colocado no texto o MMA tambem evoluiu, se o lutador campeao mundial de jiu jitsu hoje nao tem condiçoes de lutar imagina o de antigamente. Naonestou aqui de forma nenhuma a renegar a importancia histórica dos que construimos até hoje e tenho muito orgulho disso.
      Mas as tecnicas de antigamente sao simplesmente menos eficientes. Obrigado pelo comentário abs

      Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 06:43
    Permalink

    Grande mestre!!

    Sempre que um grande mestre fala, nos ouvimos sabiamente, só uma figura inteligente e referência como vc, poderia proferir palavras com tamanha humildade e precisão, concordobcom você que esta comparação é descabida, cada coisa a seu tempo, e TODOS caminhos são necessários para a evolução, contudo em minha visão, nos tempos mais antigos tínhamos uma visão mais olistica do jiu-jitsu, no sentido de uma arte-marcial completa, defesa, competição, quedas e todos aspectos que julgo inerentes a esta “completude” HOJE, com certeza temos praticantes, mais ágeis, atléticos e estudiosos, mas ao meu ver uma prática de jiu-jitsu cada vez mais calçada no víeis competitivo, o que repito, limita toda potencialidade desta arte-marcial , vejo muitas e muitas academias de grandes campeões que se “limitam “ em ensinar técnicas evoluidissimas, mas sempre ligadas e fundamentadas aos campeonatos… e uma legião cada vez maior de faixas brancas e azuis que acham a sentido do jiu-jitsu como docência é única e exclusivamente uma técnica de campeonato.

    O que o senhor pensa?

    Parabéns por todo sucesso!!!

    Oss
    Forte abraço!

    Resposta
    • 9 de setembro de 2018 em 07:25
      Permalink

      Caro Eugênio,
      Entendo seu ponto porém o remédio para isso não esta na defesa do antigo que volto a dizer não tem comparação e sim na melhoria do ensino nas academias que deveriam atender a todos como arte marcial e não apenas aos competidores, só pra te citar um exemplo minha academia oferece mais de 70 horarios por semana em aulas coletivas apenas 5 sao de competidores!
      Obrigado pelo alto nível do comentário

      Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 07:49
    Permalink

    Parabéns Sensei Fabio Gurgel, sempre quebrando paradigmas com temas e comentários muito instrutivos, eu mesmo pensava um pouco diferente mas sua opinião abriu minha mente, obrigado pelos ensinamentos…🙏

    Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 08:06
    Permalink

    Perfeito o texto Fábio! Parabéns.

    Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 12:06
    Permalink

    Bom dia Mestre! Olha, esse saudosismo faz parte de qualquer esporte, infelizmente! Antes do Jiu-Jitsu, na adolescência, eu jogava futebol e era comum em todos os jogos que perdíamos ouvir os pais ou torcedores falarem que faltou raça, entrega, amor ao que se faz e que “na nossa época era diferente…”. Até os chamados ‘Nutellas’ de hoje, daqui uns 15 ou 20 anos dirão a mesma coisa, afinal, por ego, todos nós queremos ser lembrados ou ser mitos ou ainda ter feito parte da melhor geração de qualquer coisa…. Acho que não é um problema do Jiu-Jitsu, é um problema do ser humano. Eu tenho 28 anos e as vezes me pego criticando a molecada da minha rua pq não os vejo jogando bola, correndo, pulando… “Ahhh na minha época sabíamos ser criança….” Espero que essa galera mais cabeça dura, ouvindo um grande autoridade do nosso esporte como o senhor falar sobre isso, aceitem abrir um pouco mais a cabeça. Mas confesso que ainda acredito que isso jamais deixará de existir. Um grande abraço Mestre!

    Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 14:10
    Permalink

    Penso diferente em relação a defesa pessoal, pois um praticante de jiu-jitsu precisa aprender sobre alavancas, ângulos, distribuição de peso, base, conexão, e outras coisas que o programa de defesa pessoal mostram , fazendo com que o praticante entenda fundamentos do jiu-jitsu. Qualquer praticante de jiu-jitsu deveria aprender defesa pessoal antes de tudo, pois no meu entendimento assim aprenderá as facilidades w o jiu-jitsu nos proporciona, depois vem o jiu-jitsu contra jiu-jitsu.

    Resposta
      • 12 de setembro de 2018 em 23:18
        Permalink

        Tentei dizer que penso diferente em relação a defesa pessoal corroborando com o texto, mas não me expressei bem.
        Prazer trocar essa ideia com o senhor Mestre. Acompanho seu trabalho desde a faixa branca, 2002.

        Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 16:34
    Permalink

    Perfeito! Cada um no seu tempo deve ser respeitado! A evolução sempre existirá e os campeões sempre serão lembrados!!! Tem espaço para todos! Parabéns pelo texto!!

    Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 18:02
    Permalink

    Texto sincero e claro, me convenceu! Abs Fábio.

    Resposta
  • 9 de setembro de 2018 em 22:34
    Permalink

    Muito bom seu comentário professor sobre o Jiu Jitsu de hoje e o de antigamente; realmente hoje se vc não tiver se atualizando tecnicamente vc começa a deixar de atualizar seus alunos e a vc mesmo. Pois uma coisa que aprendemos é que o Jiu Jitsu é uma evolução constante e que precisa ser atualizado sempre. Eu mesmo vejo isso hoje em dia, até mesmo dos meus próprios alunos, como o senhor disse que antigamente existiam poucas variações de raspagens , hoje existem trilhares; uma coisa é certa , que devemos lembrar também é que não se pode esquecer o básico , pois sem ele não haveria a evolução. Uma coisa que aprendi com meu mestre e procuro passar aos meus alunos é que o Jiu Jitsu é algo que se deve aprimorar diariamente. Mais uma vez professor, meus parabéns pelo excelente texto. Oss

    Resposta
  • 10 de setembro de 2018 em 09:39
    Permalink

    Concordo Fábio, o volume de técnicas explodiu.
    Chamavamos o jiu-jisu do Roleta de esquisitsu e agora vemos as tecnicas invertidas com um papel importante.
    Acho que o saudosismo tem um pouco de segurança, do medo no novo, não quero justificar apenas tentar entender.
    Eu voltei a treinar ano passado, depois de 14 anos parado. Tenho 46 e sou dessa época que vc falou, fui ao primeiro mundial.
    Acho que tudo é importante e a evolução das coisas é natural. Temos que aceita-las e aprender com elas.
    Esse tem sido o meu objetivo, aprender sempre.
    Abs e parabens pelo texto.

    Resposta
  • 10 de setembro de 2018 em 10:11
    Permalink

    O que vejo é que hoje o jiu-jitsu está mais voltado pra competição. E em suas lutas os atletas buscam mais a pontuação do que a finalização. Não que isso seja errado, cada um busca seu caminho para a vitória. O problema ocorre quando o aluno quer aprender as “magias” antes do feijão com arroz. Sempre digo que não adianta saber finalizar de 200 maneiras se não sabe passar uma guarda. A evolução é sempre bem vinda desde que não se esqueça a história. O Brasil não inventou o jiu-jitsu. Ele aperfeiçoou e agora reensina. E se não tivéssemos evoluído ele ? E se esquecêssemos como se luta em pé ? Quanto ao respeito e a hierarquia, tudo continua como antes. A grande maioria das academias são fundo de quintal e nelas isso inexiste. São poucas as que conseguem implantar isso no dojo. Me estendendo digo q o jj está se tornando cada vez mais conhecido. Todos querem e tem o direito de praticar, indiferente se por esporte ou qualidade de vida. Está também cada vez mais comercial. Que isso seja um bom futuro, mas que não nos faça perder a essência e viver da venda de faixas como já vem ocorrendo. Parabéns Fabio pela iniciativa de tentar nos tornar melhores. E que possamos evoluir todos juntos. Oss

    Resposta
  • 10 de setembro de 2018 em 21:56
    Permalink

    Fábio muito bem colocado essa questão de old school, como diria Mark Knight, criador da marca Nike: “ se vc não evolui, vc morre”
    Falou com muita propriedade e exemplificou muitíssimo bem
    Quanto aos seus comentários anteriores o único que discordo frontalmente se refere a questão de fechar chaves nos campeonatos.
    Um absurdo privar o nosso esporte de assistir a um duelo entre Bernardo Faria e Léo Nogueira, dois astros do esporte
    Quem perde em não assistir um espetáculo desse é todo nosso esporte

    Resposta
    • 11 de setembro de 2018 em 19:18
      Permalink

      Thiago, estou termnando o livro “Shoe Dog” do Mark Knight
      Muita gente discorda do fechamento e o debate é importante
      abraço e obrigado pelo seu comentario
      FG

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *