CONCILIANDO FALTA DE TEMPO COM ALIMENTAÇÃO!

Nossa Nutricionista Carol Yamin dá novas dicas e receitas de como se alimentar bem dentro de uma vida estressante e corrida! Espero que aproveitem e não deixem de comentar e compartilhar com os amigos! 

 

Vivemos em uma sociedade onde existe uma grande dualidade, por um lado há comida por todos os lados, vendinhas, restaurantes fast-food, mercados e até em postos de gasolina, por outro, nunca foi tão difícil comer bem e ser saudável. Os alimentos são excessivamente processados, as pessoas não tem mais tempo e nem mesmo o habito de preparar sua própria comida e geralmente estão estressadas e ansiosas demais para pensar em uma opção mais saudável e acabam optando pelo mais prático.

As pessoas nunca buscaram tanto melhorar seus hábitos, mas ao mesmo tempo, hoje em dia estamos extremamente pressionados pela falta de tempo, levantando muito cedo, por vezes dormindo muito tarde, encarando horas de transito, com muitos problemas relativo a trabalho e família, chegando correndo para os treinos, passando o dia fora de casa sem tempo para descansar e normalmente sem conseguir comer direito. O que podemos fazer?

Antes de começar, veja se você se encaixa em algumas destas características:

  • Sem fome pela manhã (enjoo pode ser comum).
  • Necessidade de tomar bebidas estimulantes como café e energéticos.
  • Falta de concentração e irritabilidade.
  • Azia, gastrite e dificuldade de digestão (desconforto de gases após as refeições).
  • Quedas de energia durante o dia e mais energia no período da noite.
  • Desejo por alimentos muito doces ou muito salgados principalmente a noite (chocolate e queijo mais comuns).
  • Dificuldade para perder ou ganhar peso.
  • Má recuperação muscular e dores nas juntas.
  • Vertigens durante os treinos, perda de força ou tonturas

Estes são alguns sinais de que alguns controles hormonais podem estar alterados.

A insulina, hormônio responsável pelo controle do açúcar no sangue é muito sensível a estresse. Quando seu ritmo de vida fica acelerado demais e fatores como saúde, bem estar, descanso, treinos, família, amigos e lazer ficam de lado, um hormônio chamado cortisol (hormônio do estresse) começa a se elevar e consequentemente eleva os níveis de insulina facilitando as oscilações de energia e acumulo de gordura.

Então voltando a pergunta inicial; O que fazer?

Para evitar que seus hormônios virem uma bagunça, melhorar seus níveis de energia e atingir seus objetivos nos treinos, uma boa ideia é começar a cuidar da alimentação.

A programação é a chave do sucesso para comer bem fora de casa, parece complicado mas além de ser mais saudável, a médio e longo prazo é a opção mais econômica.

 

Dicas úteis:

-Faça um kit para deixar no trabalho com alimentos não perecíveis Ex: nozes e castanhas (sem sal), barrinhas de sementes (diferentes de barrinhas de cereais) feitas de linhaça, chia, coco e quinua, aveia, bolachas de arroz, mel, óleo de coco etc. Assim fica mais fácil levar de casa apenas os complementos como frutas, proteínas (queijos, atum, frango desfiado, ovos etc.).

– Tenha receitas em casa que possam ser preparadas uma vez por semana e divididas para todos os dias Ex: Bolos ricos em proteínas e fibras, tubérculos como batata doce, mandioca e mandioquinha assados ou cozidos, proteínas como frango desfiado e ovos cozidos.

– Saiba o que vai comer, seja qual for o programa alimentar que estiver seguindo é importante não ficar desprevenido, saia de casa sabendo quais são seus lanches principalmente o que precede o treino.

– Conheça os restaurantes da região. Se você precisa comer fora todos os dias encontre locais que tenham alimentos naturais e com menos condimentos possível.

-Quando tudo der errado, e não tiver nada em mãos, faça as melhores opções na rua em padarias e lanchonetes próximas a academia:

>Três ovos mexidos + uma fruta

>Um pão de queijo (a digestão da farinha de mandioca é melhor que a do trigo) + 1 fruta

>Uma banana batida com aveia + iogurte natural

>Dois ovos mexidos +uma ou duas fatias de bacon natural (opção low carb para os adaptados)

>uma banana + aproximadamente 30g de chocolate 70% cacau (aproximadamente duas barrinhas pequenas)

>O café preto (cafeína) além de melhorar o desempenho cognitivo (memória e atenção), estimula a liberação de ácidos graxos (gordura estocada) na corrente sanguínea para ser utilizada durante o treino como energia, portanto um cafezinho é um ótimo acompanhamento para um lanche antes do treino.

Obs: As quantidades podem variar de acordo com as necessidades de cada indivíduo

É importante que não fique desmotivado com pequenos deslizes, como por exemplo; finais de semana de excessos e refeições inesperadas como aquele almoço de negócios no meio da semana onde seria impossível não comer e beber em um ambiente social. Alguns deslizes vão acontecer e o mais importante é não deixar que isso abale sua confiança e motivação.

A alimentação saudável é uma questão de habito. Descobrir o que funciona para seu dia-a-dia e aquilo que não funciona, programar seus lanches para que deem o mínimo de trabalho possível e condicionar a rotina para que fique cada vez mais natural se alimentar corretamente.

Vamos tentar? Para começar com o pé direito, baixe agora a lista com receitas fáceis e rápidas para não haver mais desculpas e não se alimentar bem.

BAIXE AQUI AS RECEITAS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *