Jiu Jitsu on line, e a perigosa divisão do Jiu jitsu em 2 grupos.

Como todos vocês provavelmente já sabem, não comecei o jiu jitsu ontem, ja se vão quase 35 anos sem interrupções treinando, competindo, ensinando e empreendendo, nesse tempo muita coisa mudou e é maravilhoso ver até onde chegamos e o tanto que ainda temos para evoluir, naquele tempo as informações corriam devagar, claro que isso não era uma exclusividade do jiu jitsu o mundo era mais lento e muito menos dinâmico, não havia telefone celular nem internet, se para mim hoje é difícil acreditar que vivíamos assim imagino para os que tem menos de 35 anos e já foram educados com essas ferramentas disponíveis.

Os programas de e-learning (aprendizado on line) se espalharam em todas as areas, faculdades, cursos técnicos, cursos de línguas e etc… e ha alguns anos atras no jiu jitsu, como toda novidade criou opiniões distintas e ainda hoje gera muita discussão e polemica , seria possível aprender jiu jitsu através do computador ou isso deveria ser combatido? seria um absurdo vender aulas on line ou isso seria apenas mais um produto do jiu jitsu? antes de dar minha opinião pessoal sobre o tema vamos entender um pouco mais como isso tudo começou.
Pioneiro não só no jiu jitsu online mas também do jiu jitsu nos EUA e criador do UFC o filho mais velho do GM Helio Gracie, Rorion Gracie me disse uma vez em uma de nossas prazeirosas conversas, “como levar jiu jitsu a 190 países como faz a Gracie University sem ser on line?” de fato o jiu jitsu cresceu de forma que todo o mundo quer aprender e a qualidade de professores qualificados ainda é pequena para atender a demanda, ponto pro online!
Pessoas que talvez nunca pisassem em uma academia de jiu jitsu simplesmente por que não sabiam do que se tratava ou por que tinham um pre conceito equivocado puderam se informar on line e despertar seu interesse. mais um ponto!
o que estava on line era o jiu jitsu clássico da academia Gracie voltado para defesa pessoal e muito bem feito e explicado, o sucesso foi  espantoso e ainda é, milhares de pessoas tiveram acesso ao jiu jitsu a partir disso.
Mas a comunidade esportiva do jiu jitsu, aquela que entra em campeonatos e faz o jiu jitsu seguir desenvolvendo não aceitava muito bem, até que um de seus maiores ícones lançou um programa revolucionário de treinos e aulas online o MGinaction estrelado por ninguém menos que Marcelinho Garcia, foi outro estouro, era como se você pudesse treinar todos os dias na academia dele em Nova York, ver as técnicas e ve-lo rolando com todos os alunos todos os dias.
Com a comunidade esportiva convencida que ser on line não era um problema começaram a surgir outros sites de renomados atletas, como Cobrinha, os irmãos Mendes, BJJ Library dos irmãos Ribeiro, Roger Gracie TV entre tantas outras, canais do You Tube com milhares de técnicas estão disponíveis a todos e atire a primeira pedra quem nunca estudou on line!

A nova polemica é por que ofereceram dentro de um programa on line receber a faixa, me parece que a mensagem esta sendo mal compreendida, fazer o aluno se dar ao trabalho de treinar as técnicas se filmar e fazer o upload significa a garantia de participação o que é positivo,se a estratégia de engajamento desse aluno e premia-lo com uma faixa virtual eu lhe pergunto: de que vale uma faixa virtual da academia A ou B fora dessa academia?  dentro de sua escola cada um usa a ferramenta de marketing que quiser,  o que importa em minha opinião é a qualidade do que é ensinado e não o veiculo.

Minha opinião sobre o ensino do jiu jitsu é que ele precisa ser bom, se for presencial ótimo mas se não for possível que seja online mas que seja de qualidade, prefiro mil vezes aprender com os sites que mencionei acima do que ter uma aula presencial com um professor mal qualificado.

Essa discussão coloca de novo o jiu jitsu dividido entre os que ensinam o jiu jitsu mas não participam das competições e os que treinam para competir e que sao  responsáveis não só pela evolução técnica mas também por todo o crescimento da industria do jiu jitsu. Será que é difícil  perceber que não existe nenhum sentido em tentar provar que um é melhor que o outro, sao produtos diferentes dentro do jiu jitsu e que vão atender a diferentes objetivos mas que precisam um do outro para que nosso jiu jitsu siga crescendo e atingindo cada vez mais pessoas.

Viva os campeonatos, viva e defesa pessoal, viva o ensino on line, VIVA O JIU JITSU!!!

 

Fabio Gurgel

CompartilharShare on Facebook1.2kShare on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn29

39 opiniões sobre “Jiu Jitsu on line, e a perigosa divisão do Jiu jitsu em 2 grupos.

  • 1 de março de 2017 em 23:32
    Permalink

    Bom texto e interpretação dos fatos. Mas gostaria de deixar minha singela opinião. Entendo que aulas virtuais contribuam para divulgação e aperfeiçoamento das técnicas do jiu jitsu, contudo as graduações online reverberam uma liquidez nas relações Sensei e aluno. O contato com pessoal com o Sensei e com os colegas graduados, passam o sentido do respeito, paciência e disciplina. Tais princípios me ajudam na vida e não somente no tatame.

    Resposta
  • 2 de março de 2017 em 00:08
    Permalink

    Infelizmente muitos ainda tem esse preconceito, não é que o jiu on line vá substituir ou ser melhor que o presencial, más pra quem só tem essa opção, é isso ou nada, então mestre Fabio Gurgel disse tudo, quem ganha com isso é o Jiu Jitsu…

    Resposta
  • 2 de março de 2017 em 08:46
    Permalink

    Concordo com vc Rubens, não sou a favor das graduações online e acho que ninguém é, não se pode tirar do professor a avaliação completa de seu aluno e não é só o critério técnico que importa, no entanto o que quis dizer no texto é que uma faixa virtual não vale absolutamente nada é apenas uma forma de marketing para motivar os alunos que estudam on line a continuarem a faze-lo, se olharmos por esse prisma é bem menos absurdo, não é? obrigado por seu comentário, um abraço FG

    Resposta
    • 4 de março de 2017 em 20:08
      Permalink

      Uma coisa é vc mostrar algumas técnicas em em vídeos outro é vc querer ensinar on line, não sabem o risco que isso pode ocasionar a pessoa ?? O Jiu-jítsu é muito eficiente e muito perigoso quando não acompanhado por um sensei ou instrutor ….. Com todo respeito ao mestre Rorion, mais nessa ele foi muito infeliz….
      Osss

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 09:24
    Permalink

    A minha opinião, fica muito relativo isso pode te aulas na net, mais também isso pode acarretar mau qualificação futuras a o jiu-jitsu. ..se ja existe picaretas na atualidades, valer ima pessoa que aprende na net, o jiu-jitsu.
    E um erro que estão cometendo comno jiu-jitsu, temos que evoluir mais poder ter uma qualificação igual abima pessoa que prática o jiu-jitsu, suado ” So f8ca im alerta a pessoa que tem uma graduação via net, não e mesmo que treinar corrigueiramente e procurar melhorar ainda mas como pessoa, quanto ao conhecimento do dia dia. ..ooooss….!

    Resposta
    • 2 de março de 2017 em 09:31
      Permalink

      Elvis,
      as graduações online nao sao reconhecidas pela IBJJF e não tem valor algum, sua preocupação não vai acontecer! obrigado por seu comentário

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 12:34
    Permalink

    Então Fabio, se amanhã o cara for da faixa branca a Preta on line, ele Não pode abrir uma academia dele é ministrar aulas ?
    Se for isso concordo 100% com seu texto.
    Abs
    Guigo

    Resposta
    • 2 de março de 2017 em 19:01
      Permalink

      Grande Guigo,
      no meu entender uma faixa online nunca será reconhecida por nenhuma entidade séria seja ela azul ou preta!
      Agora se o cara vai dar aula fora do sistema será claro difícil de controlar porem ainda acredito que o mercado se auto regule, profissionais ruins tendem a não dar certo
      um abraço meu amigo e obrigado pelo comentário

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 13:13
    Permalink

    Sou a favor de publicações de técnicas via internet para que os atletas pratiquem na academia ou em casa, desde de que sob a orientação e fiscalização de um profissional graduado! Já vi casos de alunos se machucarem seriamente até mesmo nos aquecimentos e a presença do professor responsável em minha opinião é essencial!
    Quanto a graduar virtualmente tenho Ainda minhasduvidas: essa graduação valerá para que? Será reconhecida pela federação? Valerá para disputar competições?
    O Jiujitsu e o judô são artes marciais que não dá pra treinar sozinho, e quanto mais material humano tiver melhor, pois vc treina e adquire experiência com outras pessoas que tem jogo diferentes do seu…
    Claro que deve-se divulgar a arte para que acabem os preconceitos e até para que quando um aluno for procurar um professor saber diferenciar os picaretas dos profissionais…
    Mas chegar ao ponto de colocar um aluno para fazer posições e treinos sem supervisão de um graduado acho muito perigoso…

    Resposta
    • 2 de março de 2017 em 19:08
      Permalink

      minha opinião é que as faixas ‘virtuais” não podem e não devem ser reconhecidas pelas federações elas so valem no âmbito daquela escola que a promoveu, obrigado

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 15:45
    Permalink

    Entendo o texto, compreendi a intenção, porém não concordo com um vídeo que vi, não sei falamos do mesmo, porém este que menciono, vem da Família que incluiu jiu-jitsu no Brasil.
    Mesmo defendendo a Bandeira da família, não vejo como o aluno ser recebido em uma academia e ter o mesmo desenvolvimento que um aluno que treina no presencial, porque em um momento do vídeo é fato que quem o divulga, diz que ele (o aluno) poderá chegar em qualquer academia e praticar jiu-jitsu com a mesma eficiência dos alunos desta. Para a minha humilde visão, é o mesmo que dar um bisturi e pedir que faça um corte como no vídeo assistido. sem chance…
    Entendo que a lapidação vem de repetição, e com meu professor ao lado para corrigir detalhes, para o mecanismo chegar no automático, não que a repetição criada pelo vídeo não faça isso, porém, a ausência de alguém no momento para correção de detalhes, é fundamental.

    Resposta
    • 2 de março de 2017 em 19:06
      Permalink

      Anderson, entenda o video que você viu como uma ação de marketing, é claro que um aluno on line não chegara nem perto do nível de um aluno presencial e sua faixa nunca será reconhecida, sao coisa muito distintas
      siga firme nos treinos e aprenda direto com seu professor esse é o ideal
      abs

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 17:22
    Permalink

    Como toda novidade gera inquietação, no jiu jitsu não seria diferente.
    Quantos atletas já gravaram e vão gravar dvds sobre técnicas, defesa pessoal e etc?
    Quem nunca adquiriu esse material? Eu tenho vários, inclusive do autor desse artigo, foi numa video aula dessa que aprendi de fato a estourar uma guarda com a máxima eficiência e com o mínimo esforço.
    A graduação virtual, é bom que se diga, vai até a faixa azul, ou seja, nenhum “atleta” virtual será auferido a faixa preta virtualmente.
    Todo praticante sabe que a técnica é indispensável, mas é no róla que o bicho pega , vc pode saber centenas de raspagens, ataques, defesas na mente, mas se vc não praticar tudo isto num róla ou num campeonato de nada adianta.
    Enfim, belo artigo Fábio, sempre com muita experiência e ponderação, atributos dignos de um verdadeiro general.

    Resposta
    • 2 de março de 2017 em 19:02
      Permalink

      obrigado Sandro! só um detalhe nem a faixa azul é reconhecida pela IBJJF ou seja não significa nada além de um bom marketing
      abraço

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 19:56
    Permalink

    Parabéns sensei pelo texto;se o jiu jitsu tivesse mais pessoas como vc,com certeza estaria nas olimpíadas.Questionar sim,mais não criticar, já era seu fã agora ainda mais oss.

    Resposta
  • 2 de março de 2017 em 20:33
    Permalink

    Excelente ler um texto tão bem escrito de uma mente tão clara sobre o Jiu-Jitsu. Parabéns!!!

    Resposta
  • 2 de março de 2017 em 21:18
    Permalink

    Caraca Fabião, excelente texto e ponto de vista… Concordo plenamente contigo… Acho o universo online maravilhoso e nesse contexto que vc colocou ta perfeito. Quem nao abrir a cabeça para o mundo online ficará pra atras. Mais precisamos criar a Alliance TV… Grande abraço grande general…

    Alias, #ficaadica pra galera… Existe curso de interpretação de texto online muito bom, rsrsrs

    Resposta
  • 2 de março de 2017 em 21:20
    Permalink

    Acho muito válido. É mais uma ferramenta pra ajudar no desenvolvimento do jiujitsu. Só acho que deveriam dar mais atenção aos alunos brasileiros. Pq as melhores video aulas são todas em inglês.

    Resposta
    • 2 de março de 2017 em 21:59
      Permalink

      Concordo! Mas acho que isso vai ser um processo natural conforme o mercado brasileiro vai ficando mais familiarizado, obrigado pelo comentário

      Resposta
  • 2 de março de 2017 em 23:55
    Permalink

    Olá Professor Fábio Gurgel. Texto perfeito. As pessoas primeiro tem que entender qual o objetivo da educação a distância. A maioria das pessoas que criticou pegou uma frase solta: “estão dando faixa de Jiu-Jitsu pela Internet”. Se conhecessem como é o material deles ficaria impressionado. Hoje qualquer um posta vídeo no YouTube. A maioria vê esses vídeos e tenta fazer na academia. Então porque não fazer isso com gente que sabe o que está falando? De forma Organizada. Sejamos Francos, hoje qualquer um pode pegar uma faixa preta. E não é online. É na cara de pau mesmo. Sabemos disso. Minha visão é que conhecimento é conhecimento seja lá de onde vem. Melhor ainda nas fontes que você citou. Faixa virtual? Pra mim, é óbvio que é um incentivo como bem falou. Obrigado pelo texto, você como referência no esporte tem muita força nas palavras e tenho certeza que fará muitos olharem esse assunto por outro ângulo. Grande abraço. Ronaldo Aoqui – Gracie Humaitá RN.

    Resposta
  • 3 de março de 2017 em 07:54
    Permalink

    Prezado Sensei Fábio Gurgel,
    Gostei muito do que o senhor falou a cima, concordo com a evolução do Jiu Jitsu. Pratiquei a minha vida toda Karate de contato e há um ano pratico Jiu Jitsu, sou faixa branca, já vi vídeos, li a respeito, adoro o Jiu Jitsu. Dentro da academia, os rolas são dinâmicos, quando pensamos em fazer uma técnica já tomamos outra ou somos finalizados. Não seria uma ilusão treinar o jiu pela inernet? Pois o corpo a corpo é o diferencial, falo por mim, vejo a dificuldade que é o jogo. Como seria um atleta da internet em um torneio? Poderiam eles participarem de um evento?
    Desculpem a minha manifestação como faixa branca, todos que praticam em academias ou pela internet, não tenho um grande conhecimento, mas sei que somente na teoria e vídeo não se aprende a nadar, tem que entrar na piscina.
    Oss

    Resposta
    • 3 de março de 2017 em 09:25
      Permalink

      Caro Jair,
      é claro que a pratica é fundamental o jiu jitsu online é como fonte de informação ninguém pratica jiu jitsu pela internet, você aprende as técnicas e treina com alguém
      abs

      Resposta
  • 3 de março de 2017 em 08:51
    Permalink

    Eu respeito a escolha das pessoas, se quer fazer on line ótimo, se quer fazer na academia ótimo também, nos temos o livre arbítrio, e podemos fazer onde achar que devemos e os resultados vão depender das nossas escolhas.
    Eu faço JIU JITSU quando eu quero, e tem parceiro que faz o dia inteiro todos os dias, mas ele faz para competir, eu faço porque me faz bem, nos temos que parar de ditar regras, cada um faz como achar que deve e colha os resultados da sua escolhas. Se existe os bons e os ruins é porque tem aluno para os dois, E o que seria do amarelo se todo mundo gostasse do azul. Tem gosto para tudo e temos que respeitar.

    Resposta
  • 3 de março de 2017 em 09:02
    Permalink

    Mestre, bom dia.

    Aprecio muito os temas que aborda, mas vai uma crítica construtiva : sugiro que melhore a qualidade dos textos no que tange a gramática e a concordância verbal. Sugiro para estudo a obra o professor Carlos Nougué ” Suma Gramatical”.

    Resposta
    • 3 de março de 2017 em 09:26
      Permalink

      Obrigado Diogo pela critica, vou tentar melhorar!
      você pode apontar os erros que percebeu? obrigado

      Resposta
    • 3 de março de 2017 em 12:13
      Permalink

      Putz, Ahhh A Internet, Eu treino jiu jitsu a 6 anos. Tem de tudo, até gente se achando prof. Pasquale… . Gente foi como Mestrão falou na matéria … Seve como forma de divulgação, aprendizado “sim”, estudo de técnicas, inspiração (por ver atletas de ponta em ação)… Acredito piamente que se não fosse a internet o jiu jitsu não estaria no patamar de hoje. É como o Mestrão falou, tem que haver o Marketing para “simples” divulgação. Mas é óbvio que tem que ter a prática e de qualidade buscando sempre uma boa escola com princípios, ética… E Parabéns Prof, Fabio acompanho sempre o seu trabalho… OSS (Go Aguia)

      Resposta
  • 3 de março de 2017 em 10:23
    Permalink

    Sinceramente não concordo com as aulas online como uma universidade a distância. Isso funciona para quem estuda administração, contabilidade, recursos humanos, entre outros. Porém para o jiu jitsu ou qualquer outro esporte de luta nunca vai atingir seu objetivo. O aluno precisa pôr em prática, precisa do convívio com outros atletas, precisa aprender princípios que só no dia a dia do tatame ele vai aprender. Tem coisas que jamais podem ser substituídas pela tecnologia. Não sou contra vc buscar vídeo aulas para estudar o jiu jitsu. E aperfeiçoar a sua técnica. Mas tem coisas como disse anteriormente que só no tatame diariamente é que aprendemos. Esse argumento de tornar o jiu jitsu conhecido através desse programa até certo ponto eu concordo, mas acho muito relativo. Pois hj em dia na verdade o ser humano está tão preguiçoso e acomodado que não querem mais sair de casa para nada. Fazem tudo pela internet. Não estou dizendo que isso não seja bom, mas os acomodados se tornam mais acomodados ainda. Enfim, se alguém pensa que com essa facilidade vai ser igual a um atleta que treina diariamente numa academia tá redondamente enganado. O Jiu Jitsu é complexo para quem frequenta uma Academia imagina para quem assiste aulas online. Essa é a minha humilde posição em relação a essa questão cheia de controvérsias. Mas como aluno e estudante da arte suave esse é só um resumo sobre o que eu penso em relação ao assunto. Ooosss…

    Resposta
      • 5 de março de 2017 em 11:42
        Permalink

        Valeu mestre! Mas saiba que o admiro muito. Vc é um monstro do Jiu jitsu. E uma grande referência para mim na arte suave. Assisto muitos vídeos seus para aumentar mais os meus conhecimentos. Ossss

        Resposta
  • 3 de março de 2017 em 12:26
    Permalink

    O Diogo Pitta, você diz que aprecia os temas que o Fabio aborda, e porque só resolveu se manifestar agora, o tema é sempre o JIU JITSU meu camarada, e se você não gosta, do texto, da gramática e da concordância verbal, é problema seu, garanto que todo mundo que leu entendeu,se você não entendeu é porque não é do ramo, então vai ler o seu livro de Suma Gramatical e não enche o saco, tá querendo se aparecer. se liga rapaz. Critica construtiva se faz em off.

    Resposta
  • 4 de março de 2017 em 12:09
    Permalink

    Olá. Mestre Fabio Gurgel, acredito que estamos em plena fase de mudanças, se analisarmos algum tempo, só tinha condições de praticar o “Jiu Jitsu” quem tinha um poder aquisitivo, pois não existia projeto de inclusão social, do qual nasceram vários campeões mundiais, a arte suave, foi vista com outros olhos através do “UFC”, o mais “fraco” vencendo o mais forte “pesado”, técnicas aprimoradas “adaptadas”, inovadas. Vivemos hoje na era da informatica, onde com um celular, que até pouco tempo só fazia ligações, hoje é um computador de bolso, grava e envia ao mundo suas imagens, reproduz isto para milhões de pessoas. Mas devemos ter cautela, pois o que pode ser bom para alguns logo lá na frente vai se ter opositores ou pessoas denegrindo a imagem da arte suave. “Osss”.

    Resposta
  • 6 de março de 2017 em 14:08
    Permalink

    Na minha humilde opinião, a tecnologia vem como um veículo para trazer novas informações e conhecimento de maneira mais rápida e seletiva para quem busca por informação. No jiu jitsu não seria diferente, porém vejo como uma ferramenta COMPLEMENTAR. As técnicas de jiu jitsu são como peças de lego/quebra cabeça, onde o lutador compõe sua técnica com as peças que melhor se encaixam ao seu estilo de luta, por isso vemos diversos lutadores de jiu jitsu excelentes no mundo e, ao assistir cada um em ação, é possível notar estilos e técnicas completamente diferentes, mesmo oriundas de uma mesma base. Até mesmo em uma grande academia é difícil encontrar 2 pessoas que lutam de forma exatamente igual.
    Somos privilegiados de poder estudar em uma academia com diversos professores excelentes e de estilos distintos, nos dando a chance de poder moldar nosso jiu jitsu da melhor forma possível, porém nem todos tem esse acesso/oportunidade. Em suma, acredito ser válido você treinar jiu jitsu em um bom lugar, com um professor qualificado e, por meio da internet, ter a oportunidade de conhecer algumas técnicas de professores diferentes e que podem encaixar muito bem no seu estilo e jogo, permitindo que você acrescente mais uma pecinha no seu arsenal. Já ter um aprendizado completamente online, ao meu ver, é como ter um monte de peças bonitas e soltas, porém não ter a menor ideia do que e como construir com elas.

    Excelente texto do nosso mestre, e um ótimo assunto para se debater!

    Resposta
  • 7 de março de 2017 em 10:58
    Permalink

    Minha opinião e que temos gente e eu só um deles, que aprendemos muito por fora das aulas, com vídeo aulas, por ter dificuldades de assistir a aulas e por falta de organização na área onde se mora, como graduação para chegar a seus objetivos não, mais como ferramenta para acrescentar no que vc recebe nas aulas acho uma boa, unica coisa que não gosto e que quase todos esses sites são em inglês. Deberia ter opção de português
    o de lendas

    Resposta
  • 26 de março de 2017 em 16:42
    Permalink

    Então se uma academia está trabalhando através dessa ferramenta de “marketing” e além do ensino de técnicas e vídeos aulas, ainda oferecem graduações para os que apostam nessa ideia de prática de Defesa Pessoal e ou Esporte… Se eles assim fazem e não são reconhecidos por nenhuma instituição que fiscalizam o Jiu-Jítsu no mundo, então podemos afirmar que estão na clandestinidade, e pior, oferecem tais planos de aulas e graduações, mas no fundo lesando estes praticantes virtuais?
    Ossu

    Resposta
    • 26 de março de 2017 em 17:28
      Permalink

      Joao Paulo obrigado por seu comentário, como disse em meu texto entendo essa “graduação virtual”como simplesmente uma estratégia de marketing interno da academia porém uma vez que o aluno esta aprendendo não vejo isso como algo que esteja lesando o mesmo, apesar de não concordar com a graduação a distancia e a mesma não ser reconhecida pelas federações é complicado de se intervir dentro das academias onde cada professor tem sua maneira de conduzir não só as aulas mas o negocio.
      abraço
      FG

      Resposta
  • 30 de abril de 2017 em 15:57
    Permalink

    O assunto sem duvidas e muito polemico e sempre vai gerar muito desconforto e ate mesmo repudio para quem ralou muito duro dentro do tatame para conseguir uma graduação.Acredito que cada pessoa deve saber o que e melhor para si,eu particularmente sempre busquei conhecimentos de forma presencial com os melhores e acredito que assim vou evoluir.Tudo que e novo causa uma certa resistencia no inicio, pois cada pessoa tem uma forma de interpretar,foi assim no inicio do UFC onde a maioria das pessoas condenavam o esporte por achar muito violento e por mais que hoje a modalidade e um sucesso ainda tem algumas pessoas que não aprovam.Esses tipos de cursos on line tem o seu lado positivo pois leva alguns conhecimentos a milhares de pessoas que jamais teriam acesso a nossa modalidade e logico que não substitui os cursos presenciais e o fator humano na minha humilde visão e muito melhor.Mas toda essa reflexao sobre o tema e muito produtivo porque quem sabe futuramente as pessoas responsaveis pelo crescimento do nosso esporte faça alguns ajustes em todo esse processo.Precisamos fazer uma revisão no sistema de graduação não so on line mas tem off line afinal o nosso esporte e mais do que uma faixa.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *