4 razões porque a filosofia da arte marcial deveria estar em todo líder empresarial

4 razões porque a filosofia da arte marcial deveria estar em todo líder empresarial

Há aproximadamente 15 anos fui convidado pela Rede Globo para fazer um seminário empresarial para suas filiadas de todo o Brasil, o evento faria parte de uma ação anual da empresa e tinha como objetivo integrar as áreas de engenharia, marketing e jornalismo, o evento aconteceu em Foz do Iguaçu e se chamou “Percepção e Liderança”.

Quando recebi a ligação me deram um pequeno briefing da ideia e marcaram uma reunião com o diretor que a idealizara, embora tivesse dito ao telefone que sim claro que seria possível, na verdade não fazia a menor ideia de como fazer aquele seminário/palestra, estava muito acostumado a seminários técnicos de jiu jitsu os quais realizava e ainda os faço por todo o mundo da Finlândia a Indonésia, do Japão ao Equador mas falar para o mundo empresarial era um desafio totalmente novo!

Após a reunião muito agradável por sinal fiquei muito empolgado em tentar fazer uma correlação das coisas que vivemos durante o treinamento e as emoções durante uma luta com a vida de um empresário e suas dificuldades mas ainda não tinha a menor ideia de como faze-lo, estava contratado e tinha 30 dias para me preparar.

A literatura sobre esse assunto é inexistente ou quase, minha maior fonte de pesquisa com certeza foram meus alunos e suas experiências, pessoas de diferentes áreas me contavam naturalmente suas formas de lidar com os problemas não só no trabalho mas na vida pessoal, comecei a perceber em todos um certo padrão de comportamento e quanto mais graduados e experientes eles eram mais parecidas se tornavam suas reações.

Não por coincidência esses alunos eram (e ainda são) lideres em suas áreas de atuação que vão do mercado financeiro ao ramo da publicidade passando por comerciantes, advogados e profissionais liberais, o Jiu Jitsu dava a eles um padrão, estava aí a resposta!

Mas qual seriam essas correlações? qual a diferença entre um praticante de jiu jitsu e um outro profissional competente que não pratica?

1- Nunca o instinto, sempre a técnica

Na primeira aula de Jiu jItsu ensino aos meus alunos basicamente duas coisas, a primeira é o principio da força de alavanca que permite uma pessoa bem mais fraca e leve vencer um adversário mais forte e pesado ( e aqui não vamos evocar a estória de Davi e Golias ou qualquer tipo de crença, é na técnica mesmo) e a segunda é nunca agir pelo instinto, explico porque, o jiu jitsu foi criado justamente observando os animais lutarem e quais eram seus instintos, os movimentos eram previsíveis e quando sabemos o que vai acontecer fica fácil de se neutralizar ou contra atacar, acontecem sempre as mesmas reações. O jiu jitsu te ensina a pensar sempre na frente mais rápido e mais preciso, isso é técnica!

2 – Pensar sob pressão

Aprender a usar a técnica sobre pressão é fundamental para um líder que precisa tomar decisões, o jiu itsu vai te ensinar isso também e da forma mais natural e porque não dizer divertida, imagine uma situação onde você esta no meio de um treino e sofrendo uma tentativa de estrangulamento, você esta cansado, tem pouco ar para respirar e o estrangulamento começa a fazer efeito ou seja o oxigenação do cérebro não é das melhores fica mais difícil raciocinar, provavelmente  uma pessoa despreparada desistiria no cenário descrito acima, no entanto se eu te contar que um único movimento pode te salvar? e se você acreditasse que sempre há uma maneira técnica de sair antes de a derrota se consumar? Que tudo pode acontecer antes de o jogo terminar? Isso serve para tudo!!!!

3 – A busca da excelência

A compreensão da importância do treinamento, a busca pela excelência o  aprendizado diário independente de quão bom você seja tudo isso são coisas inerentes a pratica da arte marcial e que criam uma disciplina de vida que se estende pelo seu trabalho e em qualquer outra coisa que você se proponha a fazer.

4 – Faça da disputa uma prática saudável

Trabalhar em grupo é algo que todo artista marcial aprende desde cedo, sem seu colega ao lado você não vai a lugar nenhum, ajudar seu companheiro te obriga a ser melhor ainda para poder vence-lo, sim disputamos com nossos amigos e aprendemos a ganhar e perder deles também.

Poderia ainda enumerar uma serie de outros benefiios que vao te fazer um líder melhor, um companheiro melhor e por que não um ser humano melhor, afinal essa é a verdadeira busca que devemos perseguir, mas vou deixar você descobrir o resto sozinho!

Nos vemos no tatame!

Fabio Gurgel

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *